Dica de Fim-de-Semana: Battlestar Galactica

“Os humanos criaram os Cylons. Eles se rebelaram. Eles evoluíram. Eles têm um plano.”

Olá amigos, bem vindos a mais uma dica de fim-de-seman. Dessa vez com a fantástica série Battlestar Galactica. Iremos desbravar sua história, produção e mais. Com toda certeza é um dos seriados que merece muito respeito de todos os nerds de plantão. E até mesmo aqueles que são adeptos de nossa subcultura reconhecem a importância da série. Mas falaremos disso mais à frente. Então, vamos começar!

Sinopse

A SEÇÃO ABAIXO CONTÉM SPOILERS!

Há muito tempo atrás, a humanidade vivia em um planeta chamado Kobol. Com o tempo, os recursos da natureza foram acabando, e a população teve que evacuar planeta.  Durante a evacuação, foram organizadas treze tribos para procurarem outros planetas em outros sistemas solares habitáveis. Na busca, uma das tribos foi perdida, e nunca mais se teve notícias dela.

Milhares de anos depois, quando a humanidade já estava totalmente estruturada em outros planetas e Kobol já era considerado uma lenda, a tecnologia humana foi evoluindo de uma forma incrível. Com a criação da inteligência artificial, a humanidade começou a criar robôs escravos e usá-los de uma forma cruel. Com tempo, os escravos robôs foram ganhando status na sociedade como forma de “vida” e de consciência própria. Essa forma de “vida” chamada cylon começou a evoluir e acreditar em um único Deus, diferente da humanidade que acreditava em vários deuses, causando um conflito entre culturas. Os cylons começaram  achar que humanidade não dava valor a eles da forma que eles mereciam. Então, os cylons se rebelaram contra seus criadores, colocando em prática um plano de destruição em massa que matou milhões de humanos, deixando penas alguns milhares vivos.

Os sobreviventes decidiram fugir em busca de Kobol, que hoje é apenas uma lenda na cultura do povo. Durante a fuga, os cylons começaram a perseguir os humanos através do espaço, o que os obriga a se manter sempre “saltando” na velocidade da luz. Mas os cylons conseguem rastrear as naves e a cada trinta e três minutos, eles aparecem com seu exército de naves inteligentes para destruir o comboio humano. Além de tentar sobreviver, os líderes da humanidade devem constantemente superar a falta de comida, combustível e pessoas tentando acabar com a ordem dentro da nave. Mas o pior de tudo é que alguns cylons evoluíram para uma forma de “vida” idêntica aos humanos, e nenhuma máquina pode identificar a diferença entre humanos puros e estes novos cylons.

Battlestar Galactica (1978)

Com o grandioso sucesso dos filmes da saga Star Wars em 1978, a ABC lançou um novo seriado chamado Battlestar Galactica. Mas a série só foi passar aqui no Brasil em 1981 pela emissora TV Globo. Criada pelo genial Glen A. Larson, autor de vários  seriados como O Homem de Seis Milhões de Dólares, A Supermáquina, Buck Rogers, Magnum e muito outros. A série teve apenas uma temporada e seus episódios pilotos foram apresentados em salas de cinema. Mas, depois de vinte e quatro episódios, foi considerada muito cara e acabou cancelada.

Battlestar Galactica (2003-2009)

A princípio, o antigo ator do personagem Apolo, Richard Hatch, queria que nova série fosse uma continuação da versão original , mas por alguns motivos não deu certo. Foi produzida então uma minissérie de dois capítulos em 2003 no canal Sci Fi Channel. No Brasil nenhuma emissora de canal aberto transmitiu o seriado. Com a entrada do novo roteirista e produtor executivo Ronald Dowl Moore, conhecido pelo fantástico trabalho em outros seriados de ficção científica, como Star Trek: Deep Space e Nine, ocorreram várias mudanças na trama do seriado. Na  série original os cylons foram criados por alienígenas, diferente da nova versão que foi uma criação dos seres humanos. Depois da criação da minissérie, foi criada uma série em 2004 e teve seu fim em 2009.

Repercussão no Mundo

Com toda certeza, Battlestar Galactica foi uma criação genial. Não por tratar de uma guerra entre humanos e robôs (até porque isso não é mais novidade alguma), mas sim por abordar assuntos extremamente atuais e cotidianos, como terrorismo, política, traição e ciúmes. A série usa uma certa paranóia em sua trama para chamar a atenção dos seus fãs, causado ainda mais excitação em todos.

O seriado abalou tanto o mundo com a abordagem de seus temas, que em 2009 membros da equipe da série  participaram de uma sessão da ONU para tratar de temas como os direitos humanos, terrorismo, conflitos armados, reconciliação e diálogo. A  mesa redonda teve a participação da atriz e produtora Whoopi Goldberg, dos atores Mary McDonnel (Presidente Laura Roslin) e Edward James Olmos (Almirante William Adama), juntamente com os produtores da série Ronald D. Moore e David Eick. Do lado da ONU, tivemos a participação Robert Orr, subsecretário geral do planejamento de políticas do gabinete executivo do secretário-geral, Radhika Coomaraswamy, representante especial do secretário-geral para as crianças e os conflitos armados, Craig Mokhiber, Diretor adjunto do gabinete de Nova Iorque do alto comissariado para os direitos humanos.

Nas palavras do Secretário Geral Adjunto para Comunicação e a Informação da ONU, Kiyo Akasaka, Battlestar Galactica “Não só permite uma discussão interessante como proporciona uma oportunidade de falar de situações muito difíceis que continuam a existir em todo o mundo”.

 

Onde foi que eu já vi isso!?

RPG

Com toda certeza esse seriado tem um potencial muito grande como ambientação de ficção científica. Você deve lembrar-se dos principais elementos do cenário na hora de montar a campanha e os personagens. Os jogadores poderão jogar com personagens humanos ou cylons de aprência humana (mas não os robóticos), que em termos de jogo não possuem diferenças. Lembre de que os personagens cylons, devem ser um segredo entre jogador e mestre.  Afinal de contas, ninguém gosta de um traidor! Existem várias opções de personagem no mundo de Battlestar Galactica, como piloto, político, mecânico e até mesmo terrorista. Há também alguns cylons na forma humana que não sabem o que realmente são. Por isso,  ao decorrer do jogo, mestre e jogador podem transformar um personagem humano em cylon, fazendo-o “despertar” ou até mesmo introduzindo no jogo uma de suas “cópias”… Com certeza isso será motivo para muita reviravolta em sua campanha!

Boardgame

Criado por Corey Konieczka e fabricado pela Fantasy Flight Games, o jogo é totalmente baseado no seriado.  Tende a ser muito cooperativo e extremamente paranóico. Os jogadores devem escolher entre alguns membros da nave Galactica e tentar levá-la ao planeta Kobol. Mas, ao decorrer do jogo, os cylons tentarão destruir a nave e exaurir seus recursos. Os membros da nave Galactica também deveram lidar com as crises e os conflitos internos. A perda de combustível, comida, moral e de população poderá fazer os cylons ganharem o jogo. O melhor de tudo é que os jogadores terão que lidar com a idéia de que um deles é um cylon, e isso vai causar muita desconfiança entre eles. Com “votações”, os jogadores poderão escolher passar pelas crises e até mesmo mandar um dos membros da nave para a prisão. Uma vez jogando com os amigos, passei maior parte do jogo preso, e no fim descrobiram que o cylon era outro jogador. Paranóia pura!

Segue abaixo uma promo da série (em inglês):

Então amigos, mais uma missão cumprida. E mantenham-se alerta a cada 33 minutos… Até mais!

Emanuel Igor

Anúncios

Um comentário sobre “Dica de Fim-de-Semana: Battlestar Galactica

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s