Melodias da Banshee – Rhapsody of Fire (1ª saga)

Nesse segundo post da coluna Melodias de Banshee, resolvemos apresentar a você, verdadeiro amante do fantástico mundo do RPG, a banda de Symphonic Power Metal Rhapsody of Fire, que tem simplesmente tudo a ver com nosso hobby, mais precisamente o universo de Dungeons & Dragons. Vamos lá!

Biografia e discografia

O  Rhapsody of Fire não é uma banda propriamente dita, um projeto de alguns músicos já inclusos em outras bandas que resolveram se juntar para fazer uma série de discos contanto uma histórica fantástica que envolve espadas, monstros, guerreiros, princesas, guerras e dragões. Por isso a semelhança deles com os jogadores de D&D, que se juntam para fazer campanhas e aventuras de fantasia medieval.

O Power Metal Fantástico nas duas últimas décadas trouxe uma mistura de vocais líricos, orquestras e passagens medievais, mesclando com a velocidade dos dois bumbos e guitarras distorcidas, criando assim uma nova legião de fãs fascinados por dragões, espadas, magos e guerreiros. Com certeza esses fãs são na sua grande maioria RPGistas e jogadores de games eletrônicos que misturam e apresentam todos esses elementos que foram citados.

Explorando ao máximo esse contexto, o Rhapsody of Fire é uma das bandas mais bem sucedidas do estilo atualmente. Começaram em 1992, na cidade de Trieste, Itália, com o nome de Thunder Cross, quando o guitarrista Luca Turilli, o tecladista Alex Staropoli e o baterista Daniele Carbonera ensaiaram os primeiros acordes e daí decidem gravar uma fita demo chamada de “Land of Immortals”, com os músicos convidados Cristiano Adacher, no vocal, e Andrea Furlan, no baixo. Após a segunda demo, “Eternal Glory”, em 1995, assinam com a gravadora alemã LMP.

Para o lançamento do álbum de estréia, porém, o grupo passou por algumas modificações que se mostraram decisivas em relação ao futuro: a mudança do nome Thunder Cross para Rhapsody (nome este que seria trocado em 2006 para Rhapsody of Fire , devido a problemas legais) e a inclusão do vocalista Fabio Lione, do Labyrinth. Foi lançado então, em 1997, “Legendary Tales”, surpreendendo o mundo com as técnicas e o grande nível e inteligência das composições. Segundo o próprio Luca, o grupo pratica Hollywood Metal, ou seja, um Heavy Metal cinematográfico com histórias fantásticas e produção idem. Daí a semelhança do grupo com o RPG.

A produção do disco, assim como os trechos de baixo, foram feitos por Sascha Paeth, guitarrista e produtor do Heaven’s Gate. Com a enorme repercussão em todo o mundo, voltam aos estúdios de Sascha já com o baixista Alessandro Lotta e, no ano seguinte, o segundo trabalho “Symphony of Enchanted Lands” foi lançado. Esse disco que é dito o 0 melhor trabalho deles por alguns dos mais conceituados fãs do Heavy Metal. Foi uma mera continuação de “Legendary Tales”. Não apenas na história, mas também a capa, o fotógrafo, a orquestra, a produção, ou seja, praticamente tudo foi feito com as mesmas pessoas.

Em 2000 o Rhapsody of Fire trouxe algumas novidades: o baterista Alex Hozwarth passou a fazer parte da banda e as guitarras ganharam maior destaque, tornando as composições ainda mais pesadas. Somente após “Dawn of a Victory” o grupo saiu em sua primeira turnê pela Europa, ao lado das bandas de Heavy Metal Melódico Stratovarius e Sonata Arctica. O Rhapsody of Fire ainda passou sozinho por São Paulo em 2001 e fez um show inesquecível, mostrando-se tão bom ao vivo como em estúdio. O grande destaque ficou com o vocalista Fabio Lione, considerado hoje, um dos maiores nomes do Metal Melódico.

O EP “Rain Of a Thousand Flames” serve de prenúncio para o CD “Power Of The Dragon Flame”, última parte da primeira saga épica do Rhapsody of Fire e marca também a entrada de Patrice Guers no baixo e Dominique Leurquin na guitarra base.

O álbum Symphony of “Enchanted Lands II – The Dark Secret” foi lançado em 2004 e conta a histórias que antecedem a aparição e a criação da Emerald Sword. A banda produziu ainda o single “The Magic of the Wizard’s Dream” em 2005, contando com novas versões para “The Magic of the Wizard’s Dream”, uma das mais populares canções de “Symphony of Enchanted Lands II – The Dark Secret”. Nesse álbum, os músicos contaram com a participação do ator Chistopher Lee (o Saruman, da trilogia O Senhor dos Anéis), como narrador de algumas faixas.

Em 25 de Setembro de 2006 a banda lançou o álbum “Triumph or Agony “na Europa. No dia 30 de abril de 2010 sai o álbum “The Frozen Tears of Angels”, com a produção de Luca Turilli e Alex Staropoli e mixado por Sascha Paeth.

A saga de Rhapdody of Fire

Os co-fundadores da banda Luca Turilli e Alex Staropoli iniciaram um trabalho jamais visto antes no cenário do Heavy Metal mundial. Baseando-se no folclore da Rússia e em elementos da música celta, criaram uma ambientação seqüencial de fantasia medieval em seus CDs que dura até hoje. Essa criação é dividida em duas partes, a primeira saga foi intitulada de “The Emerald Sword’’, uma história que narra basicamente uma luta entre o bem e o mal, travada pelo herói Warrior of Ice contra o malévolo bruxo The Dark Lord Akron. A saga é narrada pelo mago Aresius “O que já viu de tudo”, que durante toda a narrativa, conta como essa luta é travada e como se envolvem várias criaturas fantásticas do mundo e também três personagens de suma importância, o Príncipe Arwald, a Princesa Airin e o poderoso dragão Tharos. Vamos agora analisar a campanha, digo, a saga, álbum por álbum:

1) Legendary Tales

O início da "campanha".

A saga inicia-se nesse maravilhoso e virtuoso álbum, onde os ouvintes são levados ao início da trama, que começa com a procura do Guerreiro de Gelo pela Espada Esmeralda na Cidade de Ancelot. Chegando ao local, nosso herói presencia a completa devastação da cidade pelo Rei Negro Akron. Akron, seguido por seu exército, captura a princesa Airin e vários valentes cavaleiros, levando-os até a cidade de Hargor. Nosso herói, achando que tinha encontrado o corpo de Airin, une forças com o príncipe Arwald e, sedento de vingança, parte para a cidade de Elnor em busca das três Chaves da Sabedoria, que mostrarão o caminho para a Espada Esmeralda.

2) Symphony of Enchanted Lands

Em busca das chaves da sabedoria.

O tema principal em “Symphony of Enchanted Lands” é a busca das três Chaves da Sabedoria. Como profetizado em “Legendary Tales”, o Guerreiro do Gelo deve primeiro superar seus medos mais profundos no Espelho das Sombras para obter a primeira chave. Depois disso ele deve enfrentar Tharos, o dragão sempre vigilante, guardião da segunda chave, que estava sob um feitiço. O dragão é derrotado após uma longa batalha onde o Guerreiro de Gelo tem a chance de destruí-lo, mas não o faz, liberando assim Tharos de seu feitiço. O Guerreiro de Gelo vê uma oportunidade única, e se alia a Tharos.

Os dois partem para um vale distante onde localizam o altar de Ikaren,  onde encontram uma caverna mística e acham a terceira chave. Próximo ao altar havia uma passagem oculta, levando a um grande salão onde o mago Aresius “O que já viu de tudo” se encontrava esperando a chegada do Escolhido. Aresius vigiava o acesso aos Portões de Marfim, que levava até uma terra distante. O Guerreiro de Gelo, juntamente com Tharos, atravessam esse portal e percorrem um belo vale e um deserto até serem atacados por fantasmas e mortos-vivos vindos de todas as direções. Unindo forças eles conseguem fugir e iniciam um longo vôo até a Fortaleza do Abismo, onde rumores contam estar guardada a Espada Esmeralda. Durante o pouso eles são atacados por demônios e Tharos começa uma selvagem batalha com os inimigos, deixando o Guerreiro de Gelo na torre mais alta do forte.

Enquanto Tharos luta para derrotar os inimigos, nosso herói desce por um alçapão até um grande salão, onde se encontrava a maravilhosa e tão procurada Espada Esmeralda. O Guerreiro de Gelo caminha até a espada e a pega, fazendo surgir o Demônio Guardião. Durante um feroz combate  o demônio quase mata nosso herói, deixando-o gravemente ferido. Tharos vê seu amigo moribundo e de pronto instante se atira contra o demônio e o mata. O dragão pega seu amigo ferido e se lançam para o céu em busca de um lugar para se refugiarem. Durante o vôo Tharos conta para o Guerreiro de Gelo que também recebera um ferimento muito grave, tão mortal que acaba ceifando a vida do nobre dragão.

3) Dawn of Victory

Grandes reviravoltas na trama.

Neste álbum, nosso Guerreiro de Gelo, empunhando a Espada Esmeralda, consegue livrar a cidade de Ancelot do cerco de Akron e se alia ao príncipe Arwald para irem em busca da princesa e dos outros cavaleiros, pois escutaram rumores que eles ainda estão vivos, porém, aprisionados. Durante a derrota das forças de Akron em Ancelot, o cavaleiro Dargor foge e se alia ao Lorde Negro, se escondendo em sua fortaleza nas terras de Hargor. Enquanto o Guerreiro de Gelo e o príncipe planejam um resgate, eles recebem uma mensagem de Akron exigindo a entrega da Espada Esmeralda ou ele mataria um por um, inclusive a princesa Airin. O príncipe e o Guerreiro de Gelo, sem ter escolha alguma,  mandam a espada por um guerreiro do príncipe.

Ao chegar em Hargor, o mensageiro constata que o Lorde Negro matou a todos, mas deixou a princesa viva, então as forças de Akron capturam o guerreiro de Arwald e pegam a poderosa espada. Arwald convence o Guerreiro de Gelo a resgatar sua irmã e partem até Hargor para recuperarem a Espada Esmeralda e a princesa, mas chegando lá são derrotados e capturados pelas as forças do mal de Akron. Durante várias horas a princesa é torturada na frente de todos. Nesse momento, Dargor, que não era totalmente mal, vê toda aquela cena, se comove e tenta convencer Akron para parar com aquilo, mas o lorde negro não liga e mata a princesa em um mergulho mortal no posso de ácido que ali se encontrava. Arwald também teve o mesmo destino mas em seu último suspiro consegue (por sorte ou pela vontade dos deuses) jogar um pouco de ácido nas algemas do Guerreiro de Gelo, assim o libertando para fugir e vingar sua morte e de sua irmã. Vendo a  oportunidade única, o Guerreiro de Gelo foge pelo rio subterrâneo Aigor. Os demônios da horda de Akron não conseguem encontrá-lo e agora o lorde negro possui a espada tão desejada.

4) Rain of a Thousand Flames

O triunfo do Lorde Sombrio.

Em Rain of a Thousand Flames a destruição pelas forças de Akron é o tema principal de todas as músicas, que são executadas de uma forma muito dura. As atitudes dos demônios são descritas de uma forma muito clara e os acontecimentos são muito trágicos. Uma chuva de fogo que se derrama sobre o exército do Guerreiro do Gelo. A Rainha do Horizonte Negro é ressuscitada. Os ritos de sangue são realizados, anunciando a chegada de milhares de demônios. As cidades de Elnor e Thorald e são destruídas e o rei Eric de Elnor é morto na luta. Considerando que o álbum se concentra principalmente no triunfo do maligno Lorde Akron, o Guerreiro de Gelo não faz parte do álbum, ele é considerado apenas um tapa-buracos nessa parte da saga.

5) Power of the Dragonflame

A conclusão da "campanha".

“Power of the Dragonflame” é a conclusão da saga. O Guerreiro de Gelo recuou para a cidade de Elgard, onde Aresius tenta curar sua mente perturbada. Apesar de todas as perdas, o Guerreiro é recebido como um herói, e ele viaja novamente para a cidade santa de Algalord para se reunir com os reis que sobreviveram. Juntos, eles decidem que “é agora ou nunca”, e organizam um exército enorme para pararem as forças de Akron e da Rainha do Horizonte Negro.

Akron, agora ainda mais poderoso do que antes, graças à Espada Esmeralda, podendo drenar o poder da destruição causada por suas forças, se torna quase imbatível. Durante a batalha que se segue  o exército do Guerreiro do Gelo é completamente cercado, e eles percebem que tudo está perdido. Dargor, o Lorde das Sombras, desafia o Guerreiro de Gelo para um duelo final, onde nosso herói sai triunfante. No entanto, Dargor não morre. Ele cai de uma rocha e fica preso. O Guerreiro de Gelo percebe o conflito interno do Lorde das Sombras e o ajuda a levantar-se. Dargor não entende este ato de misericórdia, pois acreditava que o Guerreiro do Gelo era maligno (Akron dissera que o guerreiro tinha assassinado a sua família).

Akron agora está pronto para declarar a vitória total. Ele ocupa Algalord, reduzindo a cidade a escombros. Nosso herói é novamente torturado, mas desta vez Dargor não assiste. Finalmente ele entende que Akron tinha mentido a respeito do Guerreiro de Gelo e se volta contra o Lorde das Trevas. Ele ataca e mata a Rainha do Horizonte Negro, invoca o poder dos gárgulas, criaturas míticas de pedra, e tenta matar  Akron também. O Lorde Negro, no entanto, comanda um demônio e ordena que este ataque Dargor, ferindo seu ombro. Akron diz a Dargor que ele por muito tempo esperava essa traição e agora tudo parecia perdido. Mas Gaia, mãe de Dargor e deusa da terra, concede ao filho uma explosão final de força, fazendo com que ele  ataque Akron. Dargor ataca Akron e  empurra para a plataforma onde o Guerreiro do Gelo estava deitado, pronto para ser jogado nos Pântanos de Acheros e ser devorado pelas Serpentes Aquáticas.

Nesse momento o Guerreiro de Gelo grita para Dargor abaixar a plataforma, e Dargor o faz. Nosso herói recupera a Espada Esmeralda de Akron e a usa para atirar o Lorde Negro nos pântanos, para ser devorado pelas serpentes. E foi assim que Dargor conduziu pessoalmente as forças de Algalord à vitória, com a ajuda dos Gárgulas que tinha invocado. Eles derrotaram os demônios e os Gárgulas jogaram todos eles de volta pelos portões do Inferno, permanecendo lá para vigiá-los. Algalord foi reconstruída e o Gárgula se tornou o novo símbolo da cidade. Dargor desaparece após o final dessa saga.

Preparados para a nova saga de Rhapsody of Fire.

A segunda saga da banda conta a origem da poderosa Espada Esmeralda, mas isso é assunto para outro post… No futuro, retomaremos a saga de Rhapsody of Fire! Até lá!

Marzeu Lima

Esse post foi escrito ao som de Rhapsody of Fire – Holy Thunderforce

Anúncios

6 comentários sobre “Melodias da Banshee – Rhapsody of Fire (1ª saga)

  1. Com certeza uma das melhores bandas já formadas!

    Quem já escutou sabe do poder que o som dos caras tem!!

    Principalmente agora nesses albun novos:

    The Frozen Tears of Angel (álbum);
    The Cold Embrace of Fear (single).

    Concordo com o Dmitri, o Blind Guardian é uma escolha perfeita para
    o próxino post (os caras estão vindo agora em setembro para o Brasil, e vão tocar em são Luís).
    Valeu!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s