Gibiteca da Vila: Conan – Nascido no Campo de Batalha

“Até hoje, pouco se sabe dos primórdios do Cimério nas sombrias imensidões florestais de sua terra natal. Ele havia completado 16 verões quando deixou as fronteiras da Ciméria para aventurar-se no território dos Aesires…”

– Robert E. Howard.

Olá amigos e seguidores da Vila do RPG! Em minha estréia na coluna Gibiteca da Vila, trago a vocês uma indicação de leitura literalmente bárbara! Como fã de longa data de Conan (e cada vez mais apreensivo com a chegada do novo filme), hoje lhes apresento, ou reapresento, para quem já conhece, o especial Conan – Nascido no Campo de Batalha, que revisita de forma nunca antes vista as origens do Cimério de Bronze.

O(s) autor(es)

O especial Conan – Nascido no Campo de Batalha é fruto da aliança entre dois grandes artistas da indústria dos comics, o consagrado roteirista Kurt Busiek e o fenomenal desenhista Greg Ruth. Ambos dedicaram três anos à execução do projeto (2004, 2005 e 2006), que surgiu inicialmente no formato de histórias isoladas que foram publicadas ao longo das edições da revista Conan – O Cimério (#8, #15, #23, #32, #45 e #46, mais especificamente), publicada lá fora pela Dark Horse Comics e aqui no Brasil pela Mythos Editora.

Kurt Busiek nasceu em Boston, Massachussets, em 1960, e é um velho conhecido dos fãs de quadrinhos. Ele começou sua trajetória escrevendo roteiros de quadrinhos em 1982, mas foi ao longo da década de 90 , ele escrevendo tanto para DC quanto para Marvel, que ele entrou para o hall da fama da indústria dos comics, assinando o roteiro de séries consagradas como Crise Infinita, Vingadores versus Liga da Justiça e Marvels – esta última, inclusive, acabou lhe rendendo os prêmios Harvey Award e Eisner Award, maiores premiações do mundo dos quadrinhos. No entanto, foi com sua criação Astro City que Busiek se consagrou como um dos maiores nomes no ramo de roteiro para quadrinhos. Astro City lhe rendeu novas premiações do Harvey Award e Eisner Award em várias categorias em 1996, 1997 e 1998. A partir de 2004, Busiek passou a escrever os roteiros das histórias do Cimério de Bronze na Dark Horse Comics, nas revistas Conan (2004-2008), Conan – The Cimmerian (2008-2010) e a atual Conan – Road of Kings (a partir de 2010).

Greg Ruth nasceu em Houston, Texas, em 1970, e deixou um promissor curso de arquitetura para se dedicar à pintura, sua grande paixão. Seu início como desenhista profissional de quadrinhos foi em 1993, produzindo para o selo Paradox Press, da DC Comics. Seu maior sucesso veio com a aclamada minissérie Aberrações no Coração da América (2004), que desenhou para a Dark Horse Comics e lhe serviu como trampolim para chegar à revista Conan – O Cimério, da mesma editora. A partir daí começou sua parceria com Kurt Busiek, de onde nasceria o projeto Conan – Nascido no Campo de Batalha, que foi produzido ao longo de três anos (2004-2007). Além de seus trabalhos nos quadrinhos, Ruth também produziu a arte de romances infantis (alguns até de sua autoria), revistas especializadas (como a National Geographic) e até clipes musicais (de Rob Thomas e do astro pop Prince).

A obra

Na Ciméria, nascer no campo de batalha é um bom presságio!

“Da infância humilde nas bucólicas e inóspitas terras nórdicas da Ciméria, até seu batismo de fogo na momental Batalha de Venarium, as origens de Conan foram sempre tópico de acalorados debates entre fãs e edtudiosos da obra de Robert E. Howard. Afinal, nas histórias que publicou e nas cartas que trocava com amigos e colegas escritores, Howard deixou apenas pistas do dramático nascimento e dos primórdios de seu principal personagem: um  bárbaro aventureiro cujo destino seria tornar-se ladrão, mercenário, pirata, soldado e, finalmente, o rei da mais gloriosa nação de seu mundo.”

As 188 páginas desse luxuoso especial encadernado nos leva às obscuras origens deste que é um dos maiores heróis – se é que podemos rotular Conan dessa forma – do gênero sword & sorcery. Conan – Nascido no Campo de Batalha aborda de forma geniosa fatos marcantes da infância de Conan, dando pistas de sua futura personalidade como aventureiro. Os autores foram buscar nas raras cartas escritas pelo próprio Robert E. Howard a inspiração para construir essa sensacional versão do Bárbaro de Bronze.

O especial se inicia com um rápido prólogo, onde, tempos depois do reinado de Conan, um jovem e entediado príncipe e sua comitiva encontram ruínas do reinado do Cimério de Bronze. Interessado nas lendas sobre o bravo rei, o príncipe ordena ao seu conselheiro que pesquise a fundo e relate em detalhes a vida do bárbaro cimério que virou rei. A partir de então, o que se segue é o relato contado pelo conselheiro, que por ironia do destino, no passado foi o maior inimigo de Conan, o feiticeiro stígio Thot-Amon…

Ao longo os quatro capítulos do livro podemos conferir o nascimento de Conan e suas primeiras experiências como guerreiro (e mulherengo), em que ele enfrenta desde garotos de sua idade, lobos selvagens, um touro indomável, bárbaros e soldados treinados. Devido ao seu nascimento ter sido visto como um presságio por sua tribo, Conan sempre fora alvo da inveja e ciúme por parte dos outros garotos de sua idade. Mais esperto e forte que muitos deles, era sempre alvo de ofensas verbais e agressões físicas. Era excluído por uns e respeitado por outros. Seu avô, que havia viajado pelos reinos do sul na juventude, era verdadeira fonte de incríveis realtos sobre o mundo além da enevoada e lacenta Ciméria. Alimentado por tais histórias, o garoto desenvolveu um instinto aventureiro que nenhum outro garoto de sua idade sequer sonhava. Posso dizer que cada desafio retratado de forma sensacional pelo traço se torna uma passagem memorável no traço de Greg Ruth – sobretudo as visões de guerra que Conan tem no Vale da Brita e, como não poderia ser diferente, seu batismo de fogo na Batalha de Venarium.

O jovem Conan lutando na Batalha de Venarium. Com apenas 16 anos!

A relação de Conan com o universo RPGístico é profunda. O estilo sword & sorcery (espada e feitiçaria) influenciou vários cenários de campanha existentes ao longo da história do RPG. O clima sombrio e violento da Era Hiboriana serve que nem uma luva como referência para cenários de fantasia “mais realistas” ou “menos mágicos”. Além disso, as imagens de Greg Ruth retratando paisagens são um espetáculo à parte! Se você busca inspiração para a construção do background de seu personagem de D&D, Dragon Age RPG ou qualquer outro sistema de fantasia medieval, o especial Conan – Nascido no Campo de Batalha é leitura obrigatória. Tenho certeza que qualquer jogador de RPG, após ler esse magnífico especial, nunca mais verá um bárbaro com os mesmos olhos. Afinal, um dia, aquele selvagem da sua campanha pode vir a se tornar rei da nação mais poderosa do mundo…

Dmitri Gadelha

Ao mesmo tempo empolgado e amedrontado à espera do novo filme do Cimério de Bronze…

Anúncios

2 comentários sobre “Gibiteca da Vila: Conan – Nascido no Campo de Batalha

  1. Adoro as histórias do Conan desde garoto. Tive a oportunidade de ler as revistas que meu irmão mais velho tinha e virei fã desde então.

    Como tal, obviamente, a imagem que tenho do Conan é aquela fornecida pelo Ernie Chan e John Buscema, basicamente. Frank Frazetta, o mestre, também ajudou muito a compor a imagem da era hiboriana. Mas é claro que eu acho o Busiek brilhante.

    Adoraria ler essa revista, apesar de minhas concepções e pé atrás diante do visual diferenciado do qual eu estou acostumado. Já discuti isso bastante com o Dmitri, inclusive. Mesmo assim, certamente é leitura obrigatória!

  2. Tenho centenas de revistas do cimério, desde as mais antigas, e posso dizer essa nova fase de Conan foi muito bem produzida. Conan – o Cimério durou apenas 50 números contando com dois especiais (um vol.01, uma encadernação das primeiras revistas e Conan -Nascido no Campo de Batalha) e algumas mini- séries.

    Quem é fã do bárbaro não pode deixar de adquirir essa fase muito inspirada nas histórias do próprio Howard.

    A expectativa do novo filme é grande! Mas como essa revista tem uma forma própria que não copia a espetacular Espada Selvagem de Conan não devemos esperar que o novo filme seja algo muito parecido com os antigos filmes que até hoje são lembrados pelo público.

    Conan definitivamente está voltando!!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s