Dica de Fim-de-Semana: O Poderoso Chefão

“Vale por pelo menos um semestre na faculdade de cinema.”

– Revista Veja

Nos últimos anos Hollywood vem nos presenteando com muitas obras cinematográficas de grande produção e apelação visual. Filmes que mostram como a tecnologia adentrou no universo das obras e como praticamente todo filme americano hoje necessita dessa super dose de computação gráfica e incríveis “poluições” visuais para poder se firmar no mercado como um “bom” filme e chamar a atenção de inúmeros expectadores e fãs que fazem das tripas coração para poder acompanhar esses blockbusters. Quem disser que não gosta dessas meticulosas e detalhadas super-produções hollywoodianas está mentindo, principalmente nós RPGistas, que nos encantamos em ver na telona adaptações perecidas com a que jogamos em WOD, D&D, CyberPunk, GURPS, Terra Devastada, Supers e etc. Mas também não podemos esquecer de obras-primas do passado que serviram e servem de base para todos esses novos gênios do gênero cinematográfico, e é sobre uma dessas grandes preciosidades que vamos falar hoje.

O Poderoso Chefão é uma super-produção americana de 1972 baseada no livro de um grande escritor estadunidense chamado Mario Puzo, que se especializou na ficção voltada à máfia que assolava os EUA na época da Lei Seca. Dirigido por um dos maiores diretores de todos os tempos, Francis Ford Coppola, o filme é estrelado por um elenco de primeiríssima qualidade: Marlon Brando, Al Pacino, James Caan, Robert Duvall, Richard S. Castellano, Sterling Hayden, John Marley, Richard Conte e Diane Keaton, John Cazale, Talia Shire, Al Martino e Abe Vigoda. Mais dois filmes completam assim a trilogia dessa fantástica trama, O Poderoso Chefão: Parte II de 1974 e O Poderoso Chefão: Parte III lançado em 1990, 16 anos depois e que conta com a participação da revelação dos anos 80, o ator Andy Garcia.

Sinopse

Nova York, 1945. Don Vito Corleone (Marlon Brando) recebe pedidos de favores durante o casamento de sua filha Connie (Talia Shire), enquanto seu filho adotivo, Tom Hagen (Robert Duvall), apenas acompanha as visitas. O cantor e sobrinho de Don Corleone pede ajuda para estrelar um filme que irá reerguer sua carreira. Hagen vai à Califórnia para resolver o assunto a mando de seu patrão e quando retorna, os lideres da família Corleone estão em uma reunião com Sollozzo “O Turco”, que pede a Don Corleone para proteger seus negócios de heroína juntamente com a família Tattaglia. Vito desaprova o negócio e manda seu homem de confiança, Luca Brasi, descobrir mais a respeito da organização de Sollozzo, porém Brasi é pego e morto pelos irmãos Tattaglia. Em seguida, Don Corleone é vitima de uma emboscada tramada por Solozzo, mas consegue sobreviver. Enquanto isso, Sollozzo sequestra Hagen e o obriga a mostrar o negócio antes discutido ao filho mais velho do Don, Sonny (James Caan), porém Sonny desconta se vingando do atentado contra seu pai matando um dos irmãos Tattaglia.

Diante de toda essa turbulenta trama, Sollozzo propõem uma negociação e se encontra com Michael (Al Pacino), o irmão mais novo da família, em um restaurante italiano e durante o jantar Sollozzo e seu capanga, que era um capitão da policia, são assassinados com tiros na cabeça por Michael que imediatamente deixa o país, indo se refugiar na Sicília. Uma guerra entre os Corleones e os outros membros das Cinco Famílias é iniciada, e enquanto a polícia tenta acabar com as atividades da máfia, Vito fica preocupado e marca uma reunião com as outras Cinco Famílias após a morte de seu filho mais velho Sonny, pego em uma emboscada no pedágio da cidade. Ele negocia a paz retirando sua oposição aos negócios de heroína dos Tattaglia, mas deduz que os Tattaglias estavam agindo a mando do poderoso Don Barzini. Com sua segurança garantida, Michael retorna para os Estados Unidos e após um ano ele se casa com sua antiga namorada Kay Adams (Diane Keaton). Quando Vito decide sair do comando da família, Michael assume a posição de Don Corleone, líder supremo dos negócios da família. Michael viaja para Las Vegas com a intenção de comprar o cassino de seu parceiro Moe Greene e mudar os rumos dos negócios da família, mas durante toda essa negociação Vito Corleone morre enquanto brincava com seu neto Anthony, filho de Michael. Porém, antes de morrer Vito conta a seu filho que Sal Tessio, um dos capangas da família, negocia uma emboscada com Don Barzini, agora o dominante supremo das famílias de Nova York para o matar. Michael fingindo não saber de nada marca uma reunião com Don Barzini no mesmo dia do batismo de seu sobrinho Carlo e arquiteta uma emboscada bem sucedida a todos os Dons das outras famílias de Nova York e seu “parceiro” de negócios Moe Greene em Las Vegas.

Após a cerimônia, Michael manda matar seu cunhado Carlo, que havia entregue a posição de Sonny para os homens de Don Barzini e gera uma pequena discussão com sua irmã que revela a Kay os negócios sujos da família Corleone. Durante uma conversa com sua mulher, Don Corleone nega as acusações e recebe cumprimentos de companheiros de negócios que beijam sua mão o chamando de padrinho.

Sem dúvida, O Poderoso Chefão é um filme que passa de geração em geração e nunca perde sua majestade. Uma obra para crítico nenhum colocar defeito e com certeza serviu, serve e servirá de base para muitas façanhas cinematográficas deste tema criadas em todo o mundo. Confira abaixo um pequeno vídeo do filme:

No RPG

Em O Poderoso Chefão, encontramos um cenário bastante fiel e com personagens muito bem postos ao romance mostrado na obra literária. O filme nos leva realmente ao núcleo daquela situação em que a América se encontrava com a proibição de vendas de bebidas alcoólicas em todo o território americano, casas de prostituição, cassinos, polícia corrupta, etc. Diante disso tínhamos as grandes famílias de imigrantes europeus faturando e lucrando com todas essas formas ilícitas de fazer negócio.

Dentre os vários sistemas e cenários de RPG, não há plataforma melhor para se jogar com gângsters e suas vertentes que World of Darkness: Mafia. O livro é um suplemento para a antiga linha Storyteller, lançado pela White Wolf em 2002. Eescrito por Ari Marmell, Matthew McFarland e C.A. Suleiman, o suplemento apresenta todo o clima e recursos necessários para se ambientar jogadores  em um cenário onde seus personagens estarão lutando por território, dinheiro, honra e status no mundo das famílias mafiosas. World of Darkness: Mafia inclui regras para criação de personagens da Máfia mortal, conselhos de narrativa para incorporar a Máfia num jogo do sistema Storyteller com criaturas sobrenaturais, informações gerais e enredos para cenários específicos, além de apresentar uma roupagem totalmente séria e bem original – típica dos jogos adultos da White Wolf.

Marzeu Lima

Anúncios

Um comentário sobre “Dica de Fim-de-Semana: O Poderoso Chefão

  1. Eu sou suspeito para falar. Para mim, The Godfather está acima de todos os filmes.

    Eu o amo de paixao e perdi as vezes que assisti. Tenho camiseta, trilogia, miniatura, livro e jogo.

    Tanto o 1º quanto o 2º estão nas lista dos 10 Melhores Filmes do Mundo.

    Simplesmente perfeito! Essa é a coluna do VdRPG que mais gosto!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s