Magic The Gathering: Innistrad – A missão de Liliana Vess

Em postagem anterior vimos os traços gerais do plano de Innistrad, com descrições de seus territórios, habitantes e mistérios. Destes mistérios, o maior deles é o desaparecimento da arcanjo Avacyn e, junto com ela, o demônio Griselbrand. Exatamente para tentar descobrir seu paradeiro, uma ilustre planeswalker veio ao plano de Innistrad, levada por seus próprios interesses. Atrás dela veio outro planeswalker, um dos maiores caçadores do multiverso, em busca de vingança ou libertação. Essa postagem é mais uma na série de postagens que retratam o mais obscuro plano do multiverso de Magic: The Gathering. Leia e aventure-se na escuridão.

Liliana e Garruk

Liliana Vess tinha um problema. Agora, aquele problema está morto. É assim que Liliana resolve seus problemas. Esse problema era um demônio chamado Kothophed. Ele e outros três arquidemônios influentes barganharam com Liliana uma vida longa e mágica necromântica duradoura. Em troca, Liliana teve que oferecer sua alma. Parecia um bom negócio: duas vantagens por uma desvantagem. Mas não foi bem assim.

A cada uso de suas grandes habilidades necromânticas, tatuagens no corpo de Liliana brilham como luz fosforescente. Estas marcas são os termos do contrato demoníaco do qual ela tanto se arrepende, que a lembram da dívida a ser paga. Liliana nunca mais teve paz desde seu trato diabólico. Foi então que Kothophed a convocou numa missão e sua sorte parecia ter mudado.

Kothophed inscrevendo os termos do contrato no corpo de Liliana Vess.

Nessa missão, Liliana Vess teve que buscar um artefato poderoso para Kothophed em algumas catacumbas antigas, chamado Véu Corrente (tradução livre). O artefato aumenta o poder de seu usuário, mas não se sabe a que custo. Liliana viu aí a oportunidade de desfazer o trato demoníaco. Porém, foi durante sua busca pelo véu que Liliana entrou no caminho de Garruk Wildspeaker (traduzido como Garruk Falabravo) e acabou fazendo um grande inimigo que passaria a persegui-la por todo o Multiverso. Em seu conflito com Garruk, Liliana utilizou o Véu Corrente e aprisionou o planeswalker selvagem em uma espécie de maldição negra.

Assim, Liliana conseguiu escapar do planeswalker das matas – pelo menos por uns tempos – para se encontrar com Kothophed. Se ele é uma das razões para ela não possuir mais sua alma, então ele iria morrer – assim como o resto dos senhores demônios. Como planejado, Liliana conseguiu reunir todas as suas forças e derrotar o demônio Kothophed. Para seu espanto, porém, as inscrições em sua pele não desapareceram, o que indica que o trato ainda está de pé – pelo menos enquanto os outros demônios estiverem vivos.

Não importa. Ela agora tem o Véu Corrente, que é um poderoso aliado. Ela ainda tem seu poder e sua juventude. Então o objetivo continua o mesmo: conseguir de volta sua alma. É por isso que ela viaja a Innistrad.

O plano de Innistrad se encaixa perfeitamente com Liliana Vess. É um plano abarrotado de mortos vivos e criaturas da noite. A neblina é permanente. Raramente se vê um anjo ocupando os céus. Sem mencionar que Liliana parece estar na moda de Innistrad. Só que ela não está em Innistrad a passeio. Ela veio atrás de alguma coisa – ou alguém. E ela não é a única planeswalker em Innistrad caçando algo: Garruk descobriu seu paradeiro e veio atrás dela para desfazer sua maldição.

Mas Liliana está focada em seu alvo. O próximo demônio em sua lista é Griselbrand, um poderoso demônio já mencionado no Guia do Planeswalker para Innistrad. Tudo o que sabemos dele, porém, é que é uma figura venerada pelo culto secreto Skirsdag, mas que também está desaparecido desde a mesma época que a poderosa arcanjo Avacyn.

Desaparecido ou não, Liliana está em sua busca. Ela quer sua alma de volta a todo custo, e Griselbrand é um dos senhores demônios que tomaram sua alma no pacto. Ela está determinada a encontrá-lo, mesmo que para isso ela tenha que revirar este mundo de cabeça para baixo. Ela só não pode esquecer que em seu encalço está um dos maiores caçadores do multiverso. E ele está com raiva.

Os planeswalkers Garruk e Liliana: inimigos mortais.

Abaixo, confira um perfil dos planeswalkers Garruk e Liliana.

Garruk Wildspeaker, o Caçador

Antes um amante da natureza e caçador primordial, Garruk caçava suas presas por todo o multiverso, angariando um exército de criaturas das mais variadas. Antes de derrotar uma criatura poderosa, Garruk a subjugava e entrava em harmonia com ela. A partir daí, ele poderia também invocá-la para caçar a próxima criatura: maior e mais forte. Agora, depois de ser amaldiçoado pelo Véu, Garruk persegue incansavelmente sua maior presa até o momento: Liliana Vess. Sua busca o trouxe a Innistrad, e é neste mundo que Garruk experimenta sua transformação profana. Após subjugar Liliana e desfazer sua maldição de algum modo, Garruk planeja liderar os poucos humanos que lutam contra as forças obscuras  que engolfam Innistrad de uma vez por todas.

Em termos de jogo, Garruk pode invocar lobos para lutar a seu lado, ou causar dano a uma criatura do oponente como se ele lutasse com ela pessoalmente. Se ele sofrer dano e sobreviver, se transformará em Garruk Amaldiçoado pelo Véu, que tem habilidades deturpadas das suas anteriores. Ele pode invocar lobos negros que possuem uma mordida mortal – matam qualquer criatura que o atacarem o bloquearem. Ele pode também sacrificar criaturas em jogo para buscar uma criatura específica em seu grimório. Por último, Garruk transformado pode “bombar” suas criaturas em campo de batalha para ataques supremos, contanto que seu cemitério já tenha bastante criatura morta. Quanto mais criaturas no cemitério, mais fortes serão seus ataques.

Liliana Vess, a Necromante

Com mais de um século de vida, a bela Liliana é mais mortal do que aparenta. Após oferecer sua alma em pacto com demônios poderosos em troca de juventude e poder, ela se arrepende e, com a ajuda de um misterioso artefato, o Véu Corrente, parte em busca de redenção. Para isso, ela deve eliminar, um a um, todos os quatro demônios do pacto. Um já foi, Kothophed, agora faltam três. O próximo da lista é Griselbrand, que está (ou deveria estar) em Innistrad.

Em termos de jogo, a Liliana do Véu está devastadora com suas habilidades de sacrifício de carta e criatura. A todo turno ela pode fazer com que todos descartem uma carta, ou pode obrigar um oponente a sacrificar uma criatura. Já sua última habilidade permite que você junte todas as criaturas, terrenos, encantamentos e artefatos do oponente em duas pilhas. Este deverá escolher uma pilha para permanecer em jogo, e outra para ser sacrificada. Tanta crueldade disfarçada por trás de um rosto tão belo.

O encontro entre os dois planeswalkers está bem retratado na história em quadrinhos online (web comics) chamada O Caçador e o Véu e disponibilizada neste link. Um vídeo promocional que introduz o mundo de Innistrad também deixa claro o conflito entre os dois. Salvo problemas na tradução, encontrei o vídeo legendado neste link.

As cartas de Liliana e Garruk (em suas versões normal e amaldiçoado).

Innistrad continua…

Ainda há muito a ser dito sobre o plano de Innistrad. O material é tão vasto que uma campanha de RPG pode facilmente ser desenrolada nele (inclusive é uma idéia que estou cultivando…). Na próxima postagem da série, trarei mais informações sobre os territórios de Innistrad, principalmente sobre os lobisomens e humanos de lá. Até logo!

Helton Moreira

Esperando ansioso pelo próximo encontro de Garruk e Liliana.

Anúncios

6 comentários sobre “Magic The Gathering: Innistrad – A missão de Liliana Vess

  1. Olá Helton, tudo bem?

    Cara, esses posts sobre Innistrad estão muito bons, tanto que através deles fui pesquisar esta nova espansão do Magic no site da Wizards e achei demais mesmo. Acredito que é fonte recomendadíssima para quem estava lendo o “Domínios do Medo”, edição antiga para o AD&D ainda, sabe aquela edição de 1999? E lendo esses dois posts sobre o cenário Innistrad comecei, assim como você ter muitas idéias para campanhas. Aguardo os novos posts. Outra coisa, repasso aqui um comentário de uma lista de rpg que participo e lanço essa dúvida, por que diabos a Wizards nunca pensou em publicar um cenário de Magic, em especial Innistrad para a 4E? Pois o cenário é super rico e poderia virar um livro softcover facinho.

    1. Opa Romani.

      Também gostei muito do cenário. Sempre tive receio de Magic por ser um jogo que exige constante investimento, e acabei ficando alheio a esta parte realmente interessante, que é a história por trás do jogo. Esses posts do Helton estão cada vez mais perigosos, já estou até ficando com vontade de jogar, hehe

      Obrigado por acompanhar o blog e comentar cara.

      Abraço

    2. Sempre gostei de Domínios do Medo (Ravenloft) de AD&D. Concordo com você nesse quesito, ambos são cenários parecidos.

      Quanto à questão da Wizards não misturar Magic e sua linha de RPG, continua um mistério para mim. Uma coisa é certa: eles não misturam os dois de propósito, pois há muito tempo já poderiam ter feito isso.

      Nesses dias tem mais novidades sobre Innistrad. Fica ligado!

    1. Diego, apesar de não saber muito do cenário, acredito que a mecânica seja a mesma das outras linhas de Magic, a menos que esteja muito enganado, ou seja, recarrega com pontos de mana.

    2. Na verdade, essas cartas de Planeswalkers funcionam um pouco diferente. Você paga o custo delas normalmente para entrar em jogo. O número no canto inferior delas é a quantidade de marcadores de lealdade que você deve colocar em cima da carta. Assim que você puder usar um feitiço, você pode ativar uma das habilidades dos Planeswalkers. Para isso, basta acrescentar ou retirar marcadores deles, dependendo se a habilidade tem um sinal de + ou de -. Quando um planeswalker não tiver marcadores de lealdade sobre sua carta, ele sai do campo de batalha e vai para o cemitério.
      Quando o oponente estiver te atacando, ele pode designar algumas criaturas para atacar seu Planeswalker ao invés de você. Isso quer dizer que você não vai levar o dano daquelas criaturas, mas seu Planeswalker sim. Mesmo assim, você ainda pode defendê-lo colocando criaturas suas para bloquear as do oponente. Qualquer dano causado dessa maneira ao planeswalker, reduzirá a mesma quantidade de seus marcadores de lealdade.
      Existem outros detalhes quanto aos planeswalkers, mas isso é o básico. Checa o site oficial em português mesmo, que eles explicam tudo direitinho.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s