Fazendo miniaturas de naves espaciais.

Olá a todos! Muitos estão de férias e acabam sempre se encontrando naqueles momentos nos quais não há nada para se fazer. Pois bem, essa postagem é para esses momentos mesmo. Vamos ver como fazer naves ao melhor estilo Star Wars e afins usando materiais que você já tem em casa agora! Nem se preocupe com habilidade manual, pois qualquer um que tiver um pouco de paciência e Destreza 11 pode se dispor a um trabalho manual tão simples. Veja o que eu fiz, e olha que não tenho paciência nem sou profissional.

Pois bem, vamos ao material necessário. Você nem precisa sair de casa. Na geladeira você deve encontrar alguma bandeja de isopor daquelas comuns de supermercado mesmo. Além dela, você precisa de uma lixa de unhas. Quem tem mulher em casa, vai encontrar uma com certeza – se você tem uma e não tem mulher em casa, bem, você é um cara bem “moderno”… No escritório deve haver uma cola para isopor e um estilete. Se você tem um irmãozinho barra pesada, na mochila dele deve ter um estilete também. Em último caso, pegue uma faca de cozinha, já que você só terá que cortar isopor. Seja qual for a lâmina, não recomendo tesoura, pois o corte ficará irregular e será preciso uma coordenação motora muito boa para os cortes não ficarem tortos. Faça você mesmo o teste e observe a diferença.

Mãos à obra! Primeiro, corte as bordas da bandeja de isopor até ficar na forma de uma placa retangular.

Desenhe no isopor o formato da nave que quiser. Se for esperto, você vai escolher uma nave de formato achatado e formas retilíneas, ou seja, sem muitas curvas. Comparando com carros, escolha algo mais parecido com uma Brasília e menos parecido com um Fusca (é o novo!). Você verá que é difícil cortar o isopor em curvas com um estilete. Se quiser, você pode até inventar uma nave, a escolha é sua. No meu caso, como sou fã de Star Wars, escolhi um modelo Star Destroyer, que é clássico e todo mundo já viu um, e a Millenium Falcon, nave do Han Solo.

Para facilitar, você pode desenhar num papel o formato da nave, ou então imprimir. Para meus modelos, eu desenhei usando régua e tampinhas. Se preferir, você pode utilizar imagens facilmente encontradas pela internet e imprimi-las no tamanho desejado. Aí é só cortar o papel e colocar por cima do isopor, para que você possa cortar o isopor usando o estilete no formato correto. Tome o tempo que quiser nesse processo, mas não precisa ser muito detalhista e milimétrico, pois no final a lixa será usada para aparar os defeitos.

Como boa fonte para a Millenium Falcon, encontrei uma imagem do jogo de cartas da WizKids chamado Star Wars PocketModel TCG. É um trading card game que utiliza também miniaturas montadas a partir de peças bidimensionais. Para o Star Destroyer, você pode procurar imagens do mesmo jogo, ou usar a planta da nave encontrada na Wikipédia Star Wars.

Para a Millenium Falcon, dependendo do tamanho, você deverá desenhar e cortar mais de uma vez o formato da nave para depois colar todos até encontrar a espessura correta da nave. Dependendo da espessura da bandeja de isopor que você utilizar, uns dois ou três cortes do formato da nave devem dar para uma Millenium Falcon do tamanho da palma da mão. Para um tamanho menor, é mais fácil ainda, pois apenas um corte já é suficiente.

Assim que colar os dois ou três lados da nave um no outro, você já terá quase terminado! Apenas falta pegar a lixa de unha e limar as pontas e cortes irregulares e arredondar alguns pontos. Nesse ponto, é bom ter um pouquinho mais de paciência e utilizar a lixa de dentro para fora. Quanto mais você raspar, mas legal vai ficar o resultado. É só observar a imagem da nave e tentar reproduzir os baixos relevos e curvas. Tente arredondar a parte de cima e a de baixo da nave com a lixa, para fica parecendo dois pratos colados um ao outro. Após raspar, se quiser fazer como eu, utilize uma lapiseira grafite para desenhar as saídas de ar e os demais detalhes na lataria, que fazem um efeito muito realístico. Pronto, aí está sua Millenium Falcon!

Para o Star Destroyer, você deverá cortar a bandeja de isopor com mais precisão. Utilizar uma régua deixará o corte mais fácil e simétrico. Mas antes, é necessário que a bandeja de isopor esteja perfeitamente retangular. Um quadrado não é desejado, pois vai deixar o formato da nave muito esquisito. Para não falarmos em medidas, apenas corte a bandeja numa forma retangular parecendo um formato de tijolo ou caderno, como na foto.

Agora vem a parte mais legal. Corte o retângulo na diagonal, como mostrado acima. Lembre-se que uma régua facilita muito as coisas aqui. Tenha cuidado para não fazer o corte com o estilete reto, perpendicular à bandeja. Faça o máximo possível para cortar a bandeja com o estilete levemente inclinado para um lado (não interessa o lado, contanto que seja com a mão firme). Isso é muito importante para poder colar os lados depois. Faça o teste e veja por você mesmo.

Quando cortar a diagonal, simplesmente vire um dos dois lados e encaixe no outro no formato de uma pirâmide, como na foto abaixo. Aí você perceberá a importância da inclinação no estilete. Faça quantos testes quantas vezes for necessário, afinal uma bandeja de isopor é muito barata. Não esqueça de cortar o lado menos agudo da nave para ficar mais desigual do outro lado, que deve ser pontiagudo.

Quando colar os lados, você terá praticamente 70% ou mais da nave concluída! Lembro que a nave ficará oca, pois colocar a parte de baixo pode ser bastante trabalhoso e esse não é nosso objetivo. O restante será apenas a torre de comando, que fica no final da nave, no topo. Você pode simplesmente cortar o formato dela em outra bandeja de isopor e ir colando. Observe bem a imagem da nave de lado e veja como essa torre parece com a traseira de um avião. No caso da minha, tentei ser bem detalhista nessa parte, mas não se preocupe tanto assim, pois o formato dela é muito característico e qualquer um reconhecerá a nave da maneira que está até agora.

Mesmo assim, alguns detalhes podem realçar mais seu trabalho e dar mais “credibilidade” ao modelo. Se você tiver acesso à bijuteria da sua esposa ou sua mãe, você vai encontrar colares e pulseiras com umas continhas no formato arredondado. Elas servirão para fazer aquelas duas “bolinhas” no topo da torre de comando da nave. Só será preciso encontrá-las na escala certa. No meu caso, como não tem mulher aqui em casa ainda, fiz duas bolinhas de massinha epóxi mesmo. Espero que você tenha mais sorte.

Outro detalhe muito legal são umas placas em alto relevo da metade para a traseira da nave. Essas placas você pode fazer simplesmente cortando mais isopor no formato retangular e colando embaixo da torre de comando. No meu caso, como a escala é muito pequena, tive que colar apenas uma placa e sair fazendo cortes nessa placa, para dar um efeito que coloquei várias placas bem fininhas, simulando uma escadaria.

Além dessa placa, observe que a nave não é lisa. Ela é cheia de “cortes” na lataria. Os cortes são retilíneos e se cruzam, dando um efeito meio parecido com placas de circuito. Recomendo que pegue o estilete e a régua e saia fazendo cortes verticais na nave inteira, todos perfeitamente paralelos. Depois é só fazer o mesmo na horizontal, que você vai ver como fica perfeito! O mais legal é que não é preciso fazer os cortes do mesmo comprimento, pelo contrário, você deve fazer cortes de todos os comprimentos. Quanto mais cortes diferentes em comprimento, melhor. Seja bem aleatório e despreocupado nesse ponto. Ah, e não esqueça os cortes nas laterais, que são bem característicos dessa nave.

Aproveitando a idéia do circuito, peguei um carregador de celular antigo que estava entulhando aqui em casa – é sempre bom guardar essas coisas para utilizar como peças de naves em miniatura -, abri e retirei os resistores e outras pecinhas bem pequenas. Colei vários ao longo da nave, dando um efeito muito legal. Recomendo que faça o mesmo e saia testando. Lembre-se que o visual de naves espaciais pode variar em muitas coisas, mas uma sempre é a mesma: o nível de detalhes é enorme. Quanto mais pecinhas, cortes, tracinhos, bolinhas na carcaça, mais legal fica. Um detalhe bem fácil e efetivo é cortar pedaços de papel ou cartolina bem pequenos e colá-los pela nave. Corte também em tamanhos aleatórios e formatos retangulares de preferência.

Pois bem, no final, se tiver como pintar a nave, será ótimo. Mesmo assim, se você não tem prática, sugiro não arriscar. Uma pintura mal feita pode estragar todo seu trabalho. Como eu não quis arriscar, tirei umas fotos em escala de cinza para deixa o visual mais homogêneo.

Após tudo isso, você terá uma bela nave para colocar na estante, pendurar no retrovisor do carro, no chaveiro, ou no teto do quarto! Utilize como quiser. O importante é que você driblou aquelas horinhas de ócio e exercitou um pouco a área espacial do seu cérebro (com direito a duplo sentido infame). Até a próxima!

Helton Moreira

Lord of piadinhas sem graça…

Anúncios

8 comentários sobre “Fazendo miniaturas de naves espaciais.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s