Magic: The Gathering – Conheça o Senhor de Innistrad

Após um tempinho de molho, retorno com mais postagens sobre a história do mundo de Innistrad. A terceira e última expansão no plano de Innistrad está saindo neste mês e muita coisa aconteceu por lá desde nossa última postagem. Inicio, portanto, uma série de postagens para atualizar vocês sobre o que se passou desde então até o momento.

Até agora…

Sabemos que Innistrad é um plano sombrio e misterioso no multiverso, habitado por humanos e criaturas malignas que os perseguem: vampiros, lobisomens, geists, mortos vivos, demônios, enfim, toda sorte de seres macabros. Apesar dessas ameaças, os seres humanos viviam em relativo equilíbrio com as criaturas do mal. Afinal, eles tinham sua fé. Eles tinham sua proteção. Eles tinham Avacyn.

Avacyn era o arcanjo benevolente detentora de um poder capaz de proteger a todos que depositarem sua fé nela. Em Innistrad, Avacyn é praticamente uma deusa. Monumentos em sua imagem são erigidos nos povoados humanos. Igrejas espalham seu nome pelos confins de Innistrad. Sacerdotes desconjuram criaturas malignas através de sua fé em Avacyn. Guerreiros sagrados brandem seu símbolo contra o mal e triunfam. Ao longo da história de Innistrad, vários demônios ameaçaram a integridade da raça humana, porém Avacyn sempre os combateu e venceu.

Um dia, porém, Avacyn desapareceu. E com ela, a fé humana. Não se sabe do paradeiro dela, mas o fato é que nunca mais foi vista em canto algum. O maior sacerdote da igreja de Avacyn, Mikaeus, afirma que ela continua por perto, e que nada de mais aconteceu. Com suas palavras, ele tenta minimizar o medo que toma conta dos fiéis. O fato que ele não pode evitar é que, sem Avacyn por perto, todos os seguidores de Avacyn, até os outros anjos, perdem sua força. Os símbolos sagrados não tem mais o mesmo poder contra o mal.

Avacyn era a luz para os humanos de Innistrad. Sem Avacyn, as trevas começam a tomar conta…

Ascensão das trevas

Com o desaparecimento de Avacyn, as criaturas malignas já tomaram novo fôlego. Os vampiros não mais espreitam dos becos escuros, agora eles atacam a céu aberto. Os lobisomens não mais atacam um lenhador perdido no bosque, agora uma alcatéia inteira invade vilarejos. Os zumbis não mais vagam nos cemitérios, agora hordas deles marcham em direção a grandes povoados. Os geists não mais assombram mansões abandonadas, agora eles vagam pelas cidades em busca de vingança. Até mesmo demônios oriundos das profundezas de Innistrad, que eram raros, começam a virar preocupação frequente para os guerreiros sagrados da igreja de Avacyn. Cada vez mais e mais, os humanos são rechaçados de seus lares, obrigados a unirem forças como puderem para sobreviver a cada dia. Cada lua cheia é uma noite sem descanso. Até o pesadelo é um alívio da cruel realidade.

É nesse clima de desordem que Sorin Markov retorna à sua terra natal. Desde que se tornou um planeswalker, ele passa séculos perambulando pelo multiverso. Assim como todo planeswalker, Sorin é capaz de caminhar entre as Eternidades Cegas – é como alguns chamam os caminhos etéreos entre os infinitos universos. É como se ele pudesse teleportar-se para outros mundos. Seus paradeiros não são tão conhecidos, mas uma parada em Innistrad de tempos em tempos é certa. Apesar de ser um sanguessuga, Sorin não gostou nada de ver seu plano, sua terra natal, em caos. Mais que isso, ele odiou descobrir que a guardiã de Innistrad, Avacyn, está desaparecida.

Mas como assim? Ele é um vampiro, então não deveria estar feliz que os humanos estão sem a proteção de Avacyn? Na verdade, não. Sorin guarda um segredo que o liga intimamente a Avacyn. Para entender melhor, é preciso conhecer a história de Sorin Markov desde o início.

No princípio

Antes de Avacyn, há milhares de anos, havia um alquimista chamado Edgar Markov. Nessa época, uma grande fome assolava todo o território de Innistrad. Edgar Markov propôs uma solução macabra: realizar um ritual diabólico que faria algumas pessoas se tornarem capazes de se alimentar de sangue. Isso reduziria a demanda nas lavouras e ofereceria uma alternativa de alimentação. Foi assim que surgiram os vampiros de Innistrad.

Na verdade, Edgar não estava tentando salvar a humanidade. Seus planos eram bem mais egoístas que isso. A fome foi apenas a oportunidade que ele precisava para por em prática suas tentativas de prolongar sua vida e a do seu único neto, Sorin Markov. Para isso, Edgar foi tentado e guiado por um demônio chamado Shilgengar, que se aproveitou das ambições de Edgar para corromper seus escrúpulos o bastante para que ele realizasse os ritos e transformasse seu neto também.

Por vontade própria ou não, Edgar acabou conseguindo o que queria – prolongar sua vida. O que não fazia parte de seus planos foi o desaparecimento repentino de seu neto, Sorin, quando este foi transformado em vampiro. A verdade era que o trauma da transformação provocou a ignição da faísca de planeswalker em Sorin. No instante em que ele foi transformado, desapareceu do plano de Innistrad. Não se sabe onde ele foi parar ao certo. Afinal, isso foi há milênios atrás.

O certo é que a linhagem de Edgar Markov com seus primeiros vampiros deu origem a outras linhagens de vampiros. Edgar é venerado como progenitor da raça de vampiros em Innistrad e Sorin, por ser seu neto, é tratado como “realeza”. Ainda assim, ao longo dos séculos, Sorin passou a se distanciar cada vez mais de sua “família”, desaparecendo do plano por anos a fio. Enquanto isso, os vampiros em Innistrad passaram a se infiltrar mais e mais nos povoados humanos, caçando-os cada vez mais sem respeitar suas origens.

O surgimento de Avacyn

Sorin, ao contrário, sempre manteve seu respeito pela raça humana, mesmo não sendo mais um deles. Com o privilégio de seu ponto de vista de planeswalker, Sorin pôde observar como os vampiros tinham se transformado em monstros e a humanidade em Innistrad estava ficando mais escassa e acuada. Era questão de tempo para os humanos serem extintos de Innistrad para sempre. Sorin sentiu que era hora de fazer algo para impedir essa desgraça.

Foi então que Sorin Markov juntou todo seu poder com antigos conhecimentos e crenças acerca da lua de Innistrad e do pós-vida para criar uma guerreira que fosse capaz de rechaçar os vampiros e outras criaturas monstruosas em prol da humanidade. E assim nasceu o arcanjo Avacyn, uma guerreira poderosa que foi incubida com a tarefa de proteger a vida em Innistrad. Através dela, a magia da fé criou um poder verdadeiro que combate as trevas. A Igreja de Avacyn cresceu com o poder que Sorin investiu nela.

Poucos vampiros compreenderam Sorin, pois a grande maioria deles considerava esse um ato de traição contra sua própria raça! Dentre estes, Edgar Markov, seu avô e progenitor vampírico. Edgar ainda vive na Mansão Markov até os dias atuais, e Sorin ainda não é bem vindo.

Sorin pode ser a criação de Edgar, mas Avacyn é a sua criação a fim de preservar a humanidade do crime de seu avô.

O retorno de Avacyn…

Na próxima postagem, saberemos onde Avacyn esteve esse tempo todo e qual o motivo de seu desaparecimento. Isso tudo tem a ver com Liliana Vess e outros planeswalkers. Tudo termina em guerra: anjos, humanos, lobisomens, vampiros, demônios, planeswalkers… todos se enfrentando! Até lá, planeswalkers!

Helton Moreira

Anúncios

7 comentários sobre “Magic: The Gathering – Conheça o Senhor de Innistrad

  1. Sempre gostei de magic e não só pelo jogo mais também pela sua espetacular história, desde a Época de Crovax, Gerrard e etc… Depois de anos sem ler nada de Magic vi esse post e ao que parece não perdeu a qualidade; Parabéns pelo post eu gostei!

    1. Valeu, Daigon! Eu também sempre achei o background do jogo de muito bom gosto, com algumas poucas exceções. Gerrard e a tripulação do Bons Ventos sempre serão ícones de Magic!

  2. Meio fora do contexto mas, ainda assim falando de magic, saiu uma spell azul e um terreno nos spoiler de Avacyn que meu Deus, muito overpower; jogar magic competitivo (agora inclusive no T2) ficou impossível pro meu bolso.

    Ótimo texto Helton (como sempre) e quando é q povo vai jogar esse tal de Magic awe na livraria?

    1. Obrigado, Rodinely! Eu estou trabalhando aos sábados e por isso não passo mais o dia na livraria… mas assim que der, estarei de volta colocando aquele povo pra jogar! Mesmo assim, tem vários outros jogadores de Magic que frequentam a livraria aos sábados, é só ficar de olho.

      Ah, eu acho que sei de qual carta você está falando… realmente o T2 continua caro para quem quer ter decks competitivos em torneios. Por isso estou mais para jogos entre amigos “for fun”.

    1. Eu também tenho essa esperança. As cartas de anjo dessa coleção estão muito atraentes e jogáveis. Fora que algumas são bem mais baratas (em termos de jogo e de mercado), com anjos incomuns e comuns.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s